Prêmio Abril de Jornalismo

clique
clique para fechar   Finalistas/Destaques
PremiadosJurados clique para fechar

  

Prêmio

Em 1975 Roberto Civita, atual presidente do Grupo Abril, e Thomaz Souto Corrêa, membro do Conselho de Administração da Editora Abril, tiveram a idéia de criar um prêmio que contemplasse os trabalhos nunca lembrados nos eventos jornalísticos da época. Vislumbraram a oportunidade de incluir reportagens de moda, beleza, materiais de culinária, testes com automóveis, produções de estúdio, paginações de aberturas, ensaios, ilustração - enfim, toda uma variedade de trabalhos do dia-a-dia das revistas da Abril, e que não encontravam espaço na época em outros prêmios.

Victor Civita, fundador da Abril, abençoou logo a idéia e assim nasceu o Prêmio Abril de Jornalismo, com o mesmo objetivo válido ainda hoje, de incentivar a criatividade e o talento dentro das redações e premiar a qualidade dos trabalhos publicados pelas revistas da Editora Abril.

O primeiro júri foi composto de Roberto Civita, Thomaz Souto Corrêa, Mauro Ivan, então diretor das revistas masculinas, Alberto Dines, então crítico de imprensa militante, e Bea Feitler, consultora das revistas da Abril na época.

O I Prêmio Abril de Jornalismo tinha 33 categorias. O tempo mudou muito a composição das categorias, mas o número delas permaneceu praticamente o mesmo: as 33 viraram 36, hoje.

O primeiro evento de premiação aconteceu em 22 de março de 1977 no Palácio das Convenções do Anhembi, e a mesa tinha não só a diretoria da Abril, mas também a presença do presidente da ABI, jornalista Prudente de Moraes Neto, o presidente do Sindicato dos Jornalista do Estado de São Paulo, Audalio Dantas, e outras autoridades.

O júri do Prêmio Abril sempre foi representado com os mais expoentes profissionais nos mais diferentes setores de atividade cobertos pelas revistas da Editora. (veja a lista dos jurados famosos no link de curiosidades)

O objetivo do Prêmio Abril é de uma preocupação não só com a premiação dos melhores trabalhos produzidos na Editora, mas também com uma constante busca de aperfeiçoamento profissional. Desde o início os premiados que mais se destacaram no ano anterior recebem um prêmio extra de viagem-estágio, que deve ser realizado como complemento profissional da sua área de atuação.

A arvorezinha prateada virou o símbolo do Prêmio e é muito cobiçada por toda a área editorial da Abril. Em 33 edições, foram entregues 8960 troféus, entre ganhadores e destaques. E a qualidade dos trabalhos se supera a cada ano.

Como ilustra muito bem Roberto Civita "o objetivo original continua valendo, a busca da excelência deve ser permanente."

voltar para home

 
2008© - Editora Abril